top of page

PERSONALIDADE DO MÊS - Março 2024: ANTÓNIO BONÉ

No mês de Março, destacamos um dos nossos séniores masculinos, como Personalidade do mês: ANTÓNIO BONÉ! Muitos parabéns!

O António tem vindo a evoluir bastante desde que entrou para a equipa, e com o desenrolar dos treinos, descobriu que adora provas de distâncias mais curtas!


Vem descobrir tudo sobre ele, já de seguida na sua entrevista:


Fotografia: Run Tejo


1) Quem é o António Boné?

É uma pessoa de 30 anos. É orçamentista de colisão automóvel.

É uma pessoa muito focada e muito ambiciosa também. E que, dá tudo o que tem e o que não tem, para ser bem-sucedido. É uma pessoa que é amiga do amigo. E é uma pessoa que é capaz de pôr em segundo plano o seu sucesso, para ajudar o outro.


2) Há quantos anos treinas, e como é que o atletismo apareceu na tua vida?

Sou um bebé nisto. Comecei a treinar em 2021, em setembro. Em 2019 fui operado ao coração, e tinha de me preparar para fazer uma prova de esforço. Então, comecei a dar umas corridinhas no paredão de Oeiras.

Corria 100 metros, caminhava um bocadinho e corria mais 100 metros… E sentia uma melhoria de dia para dia. Certo dia, cruzei-me com o Joaquim Amaral e o seu grupo, e ele era meu barbeiro, então, desafiou-me a ir correr com ele na Run Tejo. Eu disse que era maluco, que eram federados e tudo e que eu só estava a treinar para uma prova de esforço.

Depois, fiz a prova de esforço, entretanto veio a pandemia e engordei uns quilinhos. Voltei a correr novamente, em abril de 2021, e o Joaquim veio de novo com a mesma conversa. Então, lá fui experimentar um treino em conjunto numa terça ao Jamor, e foi amor à primeira vista.

Gostei bastante do grupo e da maneira como me receberam. Parece que já me conheciam há anos. Acho que até perguntei logo à Cláudia onde me inscrevia, que eu queria continuar.


3) O que simboliza para ti pertencer à equipa Run Tejo-Prevent Sprain?

É um orgulho enorme. Eu gosto muito disto, é uma segunda família. Eu ando sempre a pensar nos treinos de terça-feira, de quinta e de sábado, e as provas para estar em convívio com o pessoal. Isto é uma alegria enorme.

Se calhar há pessoas que acordam a uma terça-feira e pensam: “Eish, hoje é dia de séries”, e eu fico entusiasmado! Porque eu sei que vou estar com o grupo, vou-me divertir bastante e libertar o stress do trabalho.

Já não me vejo a viver de outra maneira. Isto é assim, pertencer à Run Tejo.


4) Qual foi o teu maior feito desde que estás no clube?

A nível pessoal, ter conhecido a minha namorada.

A nível desportivo, na minha primeira prova como Run Tejo, na Corrida do Tejo, foi a primeira vez que eu fiz 10 quilómetros sem parar. Eu treinava no paredão, e fazia para aí uns 7 quilómetros ou 5 e parava um pouco. E havia muitos treinos em que eu não tinha feito ainda 10 quilómetros sem parar. Então, o meu grande objetivo na minha primeira prova, após os meus problemas cardíacos, e me afirmarem que eu nunca mais iria correr na vida, era concluir os 10 quilómetros sem parar e eu consegui e isso ajudou-me muito! Deu-me uma grande força, para querer fazer mais. E outro feito, foi o meu primeiro pódio de sénior, em maio do ano passado, dia dos anos do meu avô. Fomos correr numa vila que me é muito familiar, Vila Chã de Ourique, e eu nesse dia fiz 3º lugar de sénior e fiz recorde pessoal e teve um significado muito bom.


5) O que representa para ti esta distinção de personalidade do mês?

Eu fico muito contente por ser distinguido como Personalidade do Mês. Acho que é muito bom ver que o nosso esforço é reconhecido e que o meu amor ao clube é reconhecido há muito tempo. Mas tem um gosto especial ser reconhecido, pois dá para falar um pouco sobre mim, a minha performance como atleta, e o que faz eu gostar disto. Mas fico bastante contente e muito feliz por esta distinção.


6) Quais são os teus atletas de referência?

Podia ser fácil, referir aqui nomes de atletas conhecidos, mas para mim, os meus atletas de referência são os que conheço como atleta e como pessoas. Para mim, tem muito mais valor, uma pessoa que acorda às 6 da manhã, porque só pode treinar aquela hora e depois tem o dia de trabalho pela frente. Faz de tudo para arranjar um tempinho para treinar e para ser bem-sucedido enquanto atleta. Para mim, tem muito mais valor uma pessoa destas do que um famoso que vá aos jogos olímpicos, que eu não conheça, pois só faz isso da vida. Apesar de custar também, não é?

Mas para mim, tem muito valor as pessoas que têm família e que têm muito pouco tempo para isto. Batalham todos os dias para melhorar, e mesmo assim, ajudam os colegas de equipa e para mim, são essas as referências que eu tenho.

Por exemplo, o Carlos Tiago é uma pessoa focadíssima, e com a idade que tem, está sempre a melhorar e ajuda quem pode. O Filipe Rebelo, que está sempre disponível a aconselhar ou ajudar no que pode. Entre muitos outros… Isto sem pedir nada a ninguém, pessoas que ajudam o próximo e dão tudo por si.



7) Qual o conselho que dás a todos os atletas que andam por aí a correr, sem qualquer orientação e grupo de treino?

Dou-lhes o conselho que devem entrar na Run Tejo. Se eu vir aí pessoas a correr só por desporto, eu aconselho-os a juntarem-se a um grupo de treinos. Porque o atletismo é muito mais do que correr. Muitas vezes pensamos que o atletismo é uma mera corrida, mas não é. Tem muita ciência por detrás disso e muita técnica. E com um grupo de treino, e ter quem nos oriente é uma mais-valia. Para evoluir como atletas e pessoas.

Eu entrei na Run Tejo, e tenho pessoas que considero amigas para a vida. É uma família e a realidade é essa.

Aconselho a juntarem-se a uma equipa. Se não for a Run Tejo, que seja uma equipa e que treinem em grupo.


8) Como concilias os treinos e corridas com a tua vida profissional e pessoal?

Com a vida pessoal é muito fácil, porque eu posso ir correr com a minha namorada e corremos ao mesmo ritmo sem stress. Mesmo quando não me apetece, ela puxa por mim, puxamos um pelo outro. Consigo treinar sem problema e ir às provas que eu quiser.

A nível profissional é fácil, neste momento, mas às vezes também sinto desgaste físico do trabalho. Mas quando temos vontade, as coisas surgem, embora num dia ou noutro nos custe. Mas felizmente, consigo conjugar sem stress.


9) Qual a tua distância preferida, e porquê?

Tudo até 5000 metros eu gosto. Mas acho que, sem dúvida dos 800 metros, milha, 1500 metros e 3000 metros. É uma adrenalina enorme e eu sou uma pessoa que tem muita velocidade e pouca resistência.

É uma adrenalina enorme, fazer uma prova de 800 metros com a faca na garganta e é brutal. Os treinos para este tipo de provas curtas, também são desafiantes.

Lembro-me o ano passado fazer um treino específico para 1500 metros, foi uma série de 800 metros, 500 e uma de 200, e eu lembro-me que bati o meu recorde de 800 metros nesse treino. E é brutal, porque essas distâncias têm muita adrenalina, passam num instante e são espetaculares!


10) Qual a tua prova preferida, e porquê?

A São Silvestre da Amadora, não há prova como aquela. O ambiente é brutal e vamos sempre com um sorriso na cara. É uma diversão do início ao fim, não dá para ir até ao osso porque só queremos desfrutar.

Gosto de campeonatos regionais e nacionais. Vive-se uma atmosfera que não se vive em provas populares. Para já, porque estamos ao pé dos melhores atletas a nível nacional. Depois, porque é uma experiência brutal, enquanto atleta federado e acho que todos deveriam passar por isso.

Os corta matos curtos são espetaculares, é uma adrenalina especial. Em 2022, o Corta Mato em Guimarães, foi brutal e tivemos apoio do início ao fim e com música, num parque todo em relva.


11) Tens alguns cuidados com a alimentação?

Devido ao meu problema cardiovascular, eu consumo muito pouco sal. Tenho muitos cuidados com a quantidade de sal na comida. Comidas muito condimentadas, tento ter cuidado. Procuro comer muito carnes grelhadas. Porco nunca como. Comidas mais básicas e condimentadas. Sumos não bebo. Tudo o que é açúcar consumo muito pouco. Como um bolo ou doce aos domingos, quando tenho longos, para repor. E como muita fruta, bebo 3 litros de água por dia. Tento ter cuidado pela minha saúde principalmente, mas no atletismo acabo por tirar alguns benefícios.


12) Qual a tua maior motivação para continuares a correr?

Eu tenho uma grande motivação em querer bater os meus recordes pessoais.

É bom ver a nossa dedicação e ver os frutos que colhemos.

Nos treinos de séries, o Carlos Freitas elege alguns líderes de grupo, sendo eu um deles, e ver quem me segue e confia em mim, vejo a evolução de alguns e é gratificante. A Ana por exemplo, evoluiu e isso é um grande orgulho: ver os nossos colegas a evoluir.


13) Queres deixar algum agradecimento público?

Quero agradecer a toda a gente que faz parte da Run Tejo, em especial a Cláudia Borralho e ao Carlos Freitas, que foram os fundadores e são a grande base desta equipa.

À minha namorada, Ana Rebelo, que também me ajuda muito e apoia-me para que eu seja bem-sucedido.

Quero agradecer a eles principalmente, e a toda a gente da equipa. Eu quando entrei, ganhei logo vários amigos. Não posso deixar de agradecer ao Joaquim Amaral, que insistiu muito e foi graças a ele que isto foi possível.


Fotografias: António Boné (cedidas)




AGRADECIMENTO AOS PATROCINADORES:

Prevent Sprain Socks

Prevent Sprain - CM Socks

Aronick Equipamentos Desportivos

GoldNutrition

Iriax Construções, Lda

União das Freguesias de Oeiras e S. Julião, Paço de Arcos e Caxias


Σχόλια


bottom of page